segunda-feira, 24 de maio de 2010

Fúria de Titãs - 2010

Não sei quantas vezes assisti “Fúria de Titãs” na sessão da tarde na minha infância e começo de adolescência. Ao lado de filmes como “Krull, o Conquistador”, “Os Goonies” e “Curtindo a Vida Adoidado”, era já como um amigo de infância, devido a tantas reprises que a Globo passava. Mesmo vendo depois de mais velho e percebendo todos os erros que o longa trazia, ainda era possível se divertir assistindo. Diversão que o remake de 2010 passa longe de dar.
O “Fúria de Titãs” que chega agora aos cinemas é extremamente sem graça. O diretor Louis Leterrier (que traz no currículo bombas como “Carga Explosiva” e “Cão de Briga”) fez um filme com um roteiro toscamente baseado no original e com atores perdidos, que o digam Liam Neeson como Zeus e Sam Worthington como o semideus salvador Perseu. O menos ruim de todos é Ralph Fiennes como Hades, mas mesmo assim está caricato e sem muito brilho.
A história modificada em relação ao longa de 1981 traz os deuses (principalmente Zeus) revoltados com os humanos, que não acreditando mais tanto em deuses, passam a duvidar de sua existência, o que os deixa mais fracos. Para imprimir seu poderoso castigo, Zeus convoca seu irmão Hades, um canalha traiçoeiro de marca maior, que tem planos secretos na manga. A ameaça ruge contra a cidade de Argos, que será destruída se não sacrificar sua princesa.
Para salvar o reino aparece Perseus, que logo sai na caçada para descobrir como matar o bestial Kraken, a criatura que Hades ambiciona jogar contra a cidade. A jornada de Perseus passa por testes e muitos sucumbem no caminho até o final. Tudo muito sem gosto. Nem as bonitas cenas das paisagens e os efeitos especiais salvam esse novo “Fúria de Titãs”. Até os pôsters são ruins, como o que Perseu mostra a cabeça da Medusa, denunciando o final dessa batalha.
“Fúria de Titãs” levará um público grande aos cinemas, quanto a isso não tenho dúvida. É um blockbuster padrão, usando e abusando (e matando) a mitologia e com cenas de ação para o consumo de várias pipocas e refrigerantes. Mas é um filme sem alma e sem coração. Um filme que é difícil agüentar até o final, de tão previsível que é e com tantas atuações fracas. A vontade ao sair do cinema é achar em algum lugar o longa de 1981 e correr para assistir. Muito melhor.

5 comentários:

Laura disse...

não tô afim de assistir mesmo! só se não tiver o que fazer, o que atualmente, tem sido bem difícil
=*

Mauro Siqueira disse...

"Sem alma e sem coração", sem pé nem cabeça também. A motivação dos personagens desse filme - me recuso chamar de versão - são completamente diferentes do primeiro "Fúria"... é tudo muito ruim, até mesmo que deveria salvar, as cenas de ação não empolgam, ao menos a mim. Parabéns pelo blog.

Adriano Mello Costa disse...

Laura, nem perca seu tempo.
Mauro é realmente ruim. Confuso demais. Abraços.

paulo nazareno disse...

O que aprendi com Fúria de Titãs(2010):

1)Filhinhos de papai sempre se dão bem com os melhores veículos, brinquedos e mulheres.

2)Na reunião dos deuses do Olimpo faltou Clóvis Bornay. Aquelas armaduras cintilantes estavam um looosho.

3) Perseu é o único que tem uma máquina de cortar cabelo. Presente de Zeus.

E outras tantas coisas que esqueci agora. hahaha. Rapaz, eu vi todos os filmes do Louis Leterrier, então já sei o que esperar. Mas é foda, por se tratar de um "remake" (né?) de um clássico da infância, fui ao cinema conferir essa magavilha de meu deus!!

Qualquer dia vou escrever algo sobre os motivos rasos de se fazer remakes na atualidade. Este está na cota dos remakes por tecnologia - "imagina o Kraken e o Pegasus em efeitos dugaraii vééii" os caras devem pensar. Tem um outro que é nova roupagem para o público dos jóvis anti coisa velha. Nessa linha veio o remake de Aniversário Macabro (A Última Casa) e agora o Sob o Domínio do Medo (Straw Dogs), ano que vem. Enfim...tem algum sentido isso? Por que não chamaram logo o filme de "Kung Fu Kid" ? ahahha. Cansei, eu desisto.

Um abraço.

Adriano Mello Costa disse...

Paulo, ficou muito gay mesmo aquele brilho nos deuses :)) Abs.