domingo, 12 de abril de 2009

"Dúvida" - 2009

Os anos 60 de maneira geral foram um grande embate entre os costumes antiquados e as novas maneiras e formas de pensar. Esse embate foi travado tanto na vida cotidiana das pessoas, como no trabalho, na música, na política e na religião, entre outros. É dentro desse contexto que o filme “Dúvida” do diretor John Patrick Shanley é inserido, mais precisamente no ano de 1964, na escola St. Nicholas no Bronx em Nova York.
O cenário dentro dos USA em 1964 não era dos melhores, o presidente John F. Kennedy havia sido assassinado há um ano e o governo sucessor de Lyndon B. Jhonson ainda procurava equilibrar o lado social com o militarismo que tanto mal fez ao país nos anos posteriores. Várias questões pairavam no ar, o sonho americano desmoronava mais a cada dia e os valores encontravam-se em divergência a todo momento.
Na escola de St. Nicholas não era diferente, a diretora Aloysius Beauvier (Meryl Streep) comanda com mão de ferro seus alunos (lembrando bastante a diretora do colégio de freiras que estudei na minha infãncia), enquanto o padre Flynn (Philip Seymour Hoffman), tenta aos poucos mudar essas rotinas e transformar o ambiente em algo mais agradável. No meio disso, está a jovem e ingênua irmã James (Amy Adams).
A guerra entre a irmã Aloysius e o padre Flynn segue silenciosa, até que a irmã James inicia um novo processo. Ao ver o padre dando muita atenção para o jovem garoto Donald Miller, primeiro negro a estudar no recinto, irmã James entende que o garoto esteja sendo aliciado e leva por medo essa dúvida para a diretora, que começa uma verdadeira caça contra o padre, baseada somente na sua certeza e em nenhum outro fato ou prova.
Baseado na peça original do próprio diretor, “Dúvida” traz um roteiro de trama única e até certo ponto bastante comum, sendo que o brilho do filme reside principalmente nos seus atores. Philip Seymour Hoffman e Meryl Streep dão um show de interpretação com direito a um duelo impressionante mais ao final do filme. Amy Adams convence como a jovem freira e Viola Davis no papel da mãe de Donald Miller, rouba a cena nos poucos minutos em que aparece.
Grande filme. Não deixe de assistir.

2 comentários:

suecosta disse...

Concordo é um filme para não se perder, eu achei fantástico alguns planos de camera, mas sem sombra de DÚVIDAS o embate final entre Sra. Streep e Sr.Hoffman é fantástico!!!!

Mas detestei aquele final, os últimos dois minutos, eu acho, o momento de fraquesa dela me broxou... mas o filme é muito bom, calma.

Ah! essa é minha nova casa, passa lá pra tomar um chá qualquer dia desses kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Adriano Mello Costa disse...

Quanto tempo Sue!! :))
Passarei na nova casa, com certeza. Bjos.