quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

"Otis Blue: Otis Redding Sings Soul” - Otis Redding - 1965

Como diria um amigo meu: “Hoje vamos de clássico!”. Vamos de Otis Redding. Um americano fundamental para o soul e o R&B, que nasceu em 1941 e teve sua vida abreviada em um acidente de avião em 1967. Em 1965 pela lendária gravadora Stax, o músico lançou seu terceiro disco, uma verdadeira obra prima chamada “Otis Blue: Otis Redding Sings Soul”.
Contando com um timaço de músicos, como os MG´s (que acompanhavam Booker T.), foi realizada uma junção de faixas próprias e regravações de ídolos como Sam Cooke. “Ole Man Trouble” abre o disco com uma batida quebrada até a entrada dos metais, que a partir disso assumem e coordenam o ritmo pelos pouco mais de 32 minutos de duração do álbum.
Depois é a vez de “Respect”, canção de Redding imortalizada na voz de Aretha Franklin, mas que aqui aparece mais visceral e enérgica com o seu pedido de respeito e reconhecimento para uma mulher (que Aretha depois sabiamente converteu em um libelo feminino). “A Change Is Gonna Come” é uma balada em que o artista despeja toda sua voz e carga de emoção, enquanto temos um pequeno jazz flertando com o soul.
“Down In The Valley” brinca com um boogie woggie, uma canção crua até a sua alma, com direito a show do naipe de metais. “I´ve Been Loving You Too Long”, foi o segundo maior sucesso da história do cantor e emociona muito. Para arrebentar corações. Chega a vez de levantar novamente e essa missão cabe a “Shake” que entra reinstalando o balanço no ar.
“My Girl”, clássica canção dos Temptations, ganha aqui talvez sua leitura mais apaixonante. Desde a linha de baixo da entrada e os versos “Eu tenho a luz do sol em um dia nublado”, até o seu ápice com Otis detonando na parte do “Eu não preciso de nenhum dinheiro/ fortuna ou fama/ eu tenho todas as riquezas baby/ que um homem possa exigir/ falando sobre minha garota.”
“Wonderful World” regravação de Sam Cooke, é uma excelente homenagem de um fã ao seu ídolo. Em “Rock Me Baby”, Otis pula com tudo no Blues e grava uma canção de B.B King, com toda a energia que merece. Em “Satisfaction(I Can´t Get No)”, clássico-mor do Rolling Stones, acontece um verdadeiro show. Otis canta de maneira ensandecida e seu vocal chega a dar pena no de Mick Jagger. Cabe a “You Don´t Miss Your Water” o prazer de fechar o disco em outra ótima balada.
Com tanta música descartável por aí e novas sensações aparecendo a toda hora para depois sumir sem o menor aviso (e na maioria dos casos, sem fazer muita falta), é de admirar um álbum que mesmo depois de 40 anos do seu lançamento continua esbanjando qualidade. Continua sendo prazeroso ouvir um cantor despejar tanta paixão e emoção em cima de algumas músicas, que depois de passarem por ele nunca mais foram as mesmas.
Mais em: http://www.otisredding.com

Nenhum comentário: